PortugueseEnglishSpanish
PortugueseEnglishSpanish

Em 2021, das 47% das novas empresas no Ceará são de mulheres

7 de março de 2022 - 15:01 # # # #

No Ceará, o ano de 2021 foi marcado pelo bom resultado em constituições de empresas, com 109.995 no total, de acordo com os dados levantados pela Junta Comercial do Estado do Ceará (Jucec). Nesse levantamento, as mulheres representam 47% das responsáveis pelo registro de novos negócios, sejam elas empresárias, sócias ou contadoras. Ao todo, 51.764 mulheres formalizaram seus negócios entre janeiro e dezembro do ano passado.

O impacto feminino também pôde ser observado em 2019, ano antes do início da pandemia da Covid-19, em que elas foram 45% do total de aberturas. A comparação com o período do último ano apresenta um crescimento da participação feminina no empreendedorismo cearense. 

Diante do quantitativo de empresas abertas por mulheres, as mulheres correspondem a uma parte significativa no mercado. O setor com mais participação feminina foi o de Serviços, com 27.727 registros. Em segundo e terceiro lugar, respectivamente, está Comércio, com 19.043, e Indústria, com 4.994.

Dentre as Classificações Nacionais de Atividades Econômicas (CNAE), a que mais se destaca pela quantidade de constituições é a Serviços Combinados de Escritório e Apoio Administrativo, que também é do setor de Serviços. Negócios registrados com essa atividade podem exercer serviços de recepção, planejamento financeiro, contabilidade, arquivamento, entre outros.

A presidente da Jucec, Carolina Monteiro, acredita que as mulheres estão avançando constantemente na conquista da independência financeira, ainda que o empreendedorismo seja um espaço predominantemente masculino.

“Observamos, anualmente, o aumento gradual de mulheres abrindo as próprias empresas, isso significa mais autonomia e renda para elas e suas famílias. As estatísticas mostram o crescimento do número de mulheres no mercado de trabalho, e com a formalização de suas atividades como empreendedoras, elas ganham segurança jurídica e reconhecimento”, afirma a presidente.

Conquista de mercado

Após dezessete anos fora do mercado de trabalho para se dedicar à família, Elaza Souza Batista alcançou três importantes realizações: concluir o curso de Psicologia, iniciar sua carreira profissional e abrir a própria empresa. Hoje, aos quarenta e nove anos,  tem agenda preenchida com os atendimentos clínicos aos seus pacientes. 

Em 2021, ela abriu uma empresa e foi contemplada com o registro automático, processo simplificado da Junta Comercial que beneficia microempresas e sociedades limitadas. “Senti a necessidade de abrir uma empresa para regularizar a minha prestação de serviço”, explica a psicóloga.  

Elaza aponta a sobrecarga de tarefas como um dos principais obstáculos que limitam as mulheres a empreender. “Acredito que a questão do acúmulo de papéis é algo que pesa, são muitas responsabilidades com família, casa, amigos, autocuidado, negócio”, explica ela. 

Criado em maio de 2019 para facilitar a abertura de empresas no Ceará e oferecer celeridade, o Registro Automático da Junta Comercial do Estado do Ceará aprovou, desde sua implementação, a formalização de 12.238 empresas. 

Desde que a  inovação foi disponibilizada, a análise dos processos para  abertura de empresas passou a ser feita  por meio de cruzamento de dados, sem a necessidade de espera na análise da solicitação. Também conhecido como deferimento automático, o processo simplificado beneficia principalmente pequenas empresas, possibilitando que os documentos sejam aprovados em minutos.