PortugueseEnglishSpanish
PortugueseEnglishSpanish

Jucec recebe Diretor do Departamento Nacional de Registro Empresarial

30 de julho de 2019 - 17:09 # # #

O diretor do DREI veio conhecer os projetos inovadores que a Junta do Ceará está desenvolvendo.  

A Junta Comercial do Estado do Ceará (JUCEC), autarquia vinculada à Secretaria do Desenvolvimento Econômico e Trabalho, recebeu o diretor do Departamento de Registro Empresarial e Integração (DREI), André Santa Cruz, em reunião realizada ontem (29/07), para apresentar projetos tecnológicos que vêm sendo desenvolvidos pela autarquia cearense, além de alinhar algumas questões sobre a nacionalização do Sistema de Registro Mercantil, SRM. 

 

De acordo com a presidente da Jucec, Carolina Monteiro, “a autarquia vem trabalhando para a constante melhoria dos serviços prestados, utilizando tecnologias que possibilitem a simplificação de procedimentos, como o caso do SRM que, hoje, permite o registro de empresas pela internet, além de facilitar a solicitação de certidões, livros e a integração com os órgãos da RedeSim”. 

Segundo André, os projetos que estão sendo desenvolvidos pela Junta do Ceará são ”extremamente inovadores e que, na nossa visão, podem trazer benefícios muito importantes para os empreendedores do Ceará. Nós, como Departamento Nacional, estamos sempre de olho nas iniciativas inovadoras dos estados para que, eventualmente, possamos expandi-las para todo país”. 

Nacionalização do SRM

O diretor do DREI também comentou sobre o projeto de nacionalização do Sistema de Registro Mercantil (SRM), sistema adotado pela Jucec de forma pioneira em 2017 e que possibilitou a digitalização dos serviços. 

“Estamos discutindo o andamento de forma mais detalhada com o Sebrae e demais juntas que compõem o projeto RedeSimples Digital. É uma pauta prioritária para nós, inclusive  discutimos o assunto no último Encontro Nacional das Juntas Comerciais (Enaj). As conversas têm sido positivas e, em breve, teremos o projeto pronto para nacionalização do SRM, o que vai ajudar as juntas comerciais do país que quiserem implantar”.