PortugueseEnglishSpanish
PortugueseEnglishSpanish

Comércio varejista  concentra maioria das aberturas de empresas no Ceará

27 de abril de 2022 - 09:57

Observatório Jucec divulga índices de registro mercantil no Ceará de janeiro a março.

No primeiro trimestre de 2022, a Junta Comercial do Estado do Ceará registrou crescimento no número de abertura de empresas no Estado. Em comparação com o último trimestre de 2021, o índice apresentou aumento de 18%, passando de 24.167 entre outubro e dezembro, para 28.615 entre janeiro e março de 2022. Quando analisado o primeiro trimestre de 2021, que apresentou 29.223 constituições, houve ligeira queda com redução de 2%.

O montante engloba empresas nas atividades econômicas de Comércio, Indústria e Serviços em todas as categorias jurídicas: Microempreendedor Individual (MEI), Sociedades Limitadas (LTDA), Empresas de Pequeno Porte (EPP), Microempresa (ME), Cooperativas, entre outros. 

Entre janeiro e março deste ano, o segmento que mais consolidou empreendimentos no Sistema de Registro Mercantil foi o de Serviços, totalizando 16.647 registros, seguido pelo Comércio com 9.341 e pela Indústria com  2.627. 

Dentre as atividades econômicas mais escolhidas, o comércio varejista ocupa as primeiras posições. Somadas as dez atividades econômicas com maior quantidade de registros de empresas, o número de novos negócios no comércio varejista chega a 9.431 , representando 32% do volume total de aberturas.

No Ceará, os investimentos privados foram direcionados principalmente para a venda de vestuários e acessórios (2968), de cosméticos e perfumaria (2070), de bebidas (1793) e de produtos alimentícios (1437). Ainda no setor de serviços, foram criadas 1366 lanchonetes,  1253 salões de beleza e 1231 restaurantes.

As cidades que concentram o maior número de novas empresas são Fortaleza (2558) Juazeiro do Norte (192); Eusébio (151); Caucaia (143); Sobral (93) e Iguatu (51).

Fomento ao pequeno empreendedor

O aumento de 18% no número de empresas consolidadas se deve às ações de incentivo aos pequenos negócios implementados pela Junta Comercial do Estado do Ceará. Em janeiro, foi disponibilizada a isenção de preço público para dois tipos jurídicos:  Empresários Individuais e Sociedade Limitada. 

Além da desoneração, o órgão vem implementando medidas que simplificam o processo de abertura, como o registro automático que foi criado em maio de 2019 para oferecer celeridade na constituição de empresas e já aprovou, desde sua implementação, a abertura de 12.238 novos negócios.

A mais recente inovação para a desburocratização do registro mercantil no Ceará foi o lançamento do Empresa Mais Simples em abril. O  sistema é voltado para a criação de empresas de baixo risco e unifica processos entre os órgãos públicos responsáveis pelo registro, legalização e controle empresarial, com serviço gratuito. Sobral foi a  primeira cidade a utilizar a plataforma virtual, integrando as instituições municipais ao Programa. Todos os municípios cearenses podem solicitar integração ao Programa pelo email redesim@jucec.ce.gov.br.

“As Juntas Comerciais antes eram órgãos apenas cartoriais e hoje são um agentes de desenvolvimento econômico, porque dialogam com todos os órgãos públicos e com a classe contábil. É um trabalho que ficamos muito honrados em desenvolver. Em 2016, no Ceará, o empreendedor levava, em média, 145 dias para abrir uma empresa, com o Balcão Único já temos a meta de abrir uma empresa em cinco minutos. Não há como falar em atração de investimentos e desenvolvimento econômico sem falar em ambiente de negócios”, explica a presidente da Junta Comercial, Carolina Monteiro.

Confira as atividades econômicas com maior número de abertura de empresas ( Jan / Mar 2022)

1º – Comércio Varejista de Artigos do Vestuário e Acessórios : 2968  empresas

2º – Comércio Varejista de Cosméticos, Produtos de Perfumaria e de Higiene Pessoal: 2070 empresas

3º – Promoção de Vendas: 1922 empresas

4º – Comércio Varejista de Bebidas: 1793 empresas

5 º – Comércio Varejista de Mercadorias em Geral, com Predominância de Produtos Alimentícios – Minimercados, Mercearias e Armazéns:  1437 empresas 

6º – Lanchonetes, Casas de Chá, de Sucos e Similares: 1366 empresas

7º – Cabeleireiros, Manicure e Pedicure: 1253 empresas

8º – Fornecimento de alimentos preparados preponderantemente para consumo domiciliar: 1239 empresas

9º – Restaurantes e Similares – 1231 empresas

10º Comércio Varejista de outros Produtos não Especificados Anteriormente – 1163 empresas