PortugueseEnglishSpanish
PortugueseEnglishSpanish

No ceará Número de bares e restaurantes se expande 11%.

8 de outubro de 2012 - 15:20

Pesquisa aponta que o Estado obteve o quinto melhor resultado entre os outros da região Nordeste.

Brasileiro gasta, em média, 30% do seu orçamento com alimentação fora de casa.

Com um dos setores de alimentação mais promissores do País, o Ceará tem registrado expressiva expansão na abertura de bares e restaurantes. Somente em 2011, foram inaugurados 695 estabelecimentos no setor, o que representa um crescimento de 11,21% com relação às aberturas de empreendimentos no ano anterior, conforme uma pesquisa realizada pela Central Mailing List. O resultado foi o quinto melhor do Nordeste, ficando atrás do Piauí (16,51%), Paraíba (15,29%), Maranhão (14,16%) e Pernambuco (11,50%).

De acordo com o presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes do Ceará (Abrasel-CE), Ivan Assunção, os dados da pesquisa refletem bem o mercado local que, em sua avaliação, ainda possui muito espaço para crescimento e deve permanecer aquecido pelos próximos anos. “Temos pesquisas que indicam que, atualmente, o brasileiro gasta, em média, 30% do seu orçamento com alimentação fora de casa, mas, nos Estados Unidos e em países da Europa, esse índice chega a 40%. Assim, temos espaço para crescer mais, pois existe no Brasil uma demanda cada vez maior pela alimentação fora de casa. Sabemos que o consumo de alimentos fora do lar é maior na classe A, mas ele vem crescendo em todas as classes socioeconômicas”, afirma.

Além da maior demanda pela alimentação fora de casa, fruto de fatores como a melhoria da renda da população local e a correria da vida moderna, o presidente da Abrasel-CE destaca que outra importante contribuição para o crescimento do setor de alimentação é o fortalecimento do turismo no Ceará, que, a cada ano, traz um número maior de pessoas ao Estado. “A inauguração do Centro de Eventos do Ceará também terá um grande impacto no setor, pois vai trazer um movimento muito grande para Fortaleza, na baixa e na alta estação”, acrescenta.

Expansão para o sul

Segundo Ivan Assunção, todos os chamados polos gastronômicos de Fortaleza estão crescendo, mas a expansão em bairros com Água Fria e Cidade dos Funcionários tem sido maior.

“Fizemos um mapeamentos e contabilizamos cerca de 80 estabelecimentos nesta região da cidade, número que, há cerca de um ou dois anos, não chegava à metade”, ressalta, acrescentando que este resultado deve-se ao fato de a Capital estar crescendo para esta área.

Mão de obra

Segundo a pesquisa da Central Mailing List, o Ceará encerrou o ano de 2011 com 6.892 bares e restaurantes, que empregam 22.417 pessoas. Apesar de ser um setor que gera muitos empregos, a contratação de pessoas tem sido um desafio, uma vez que falta mão de obra qualificada no Estado.

“A falta de profissionais qualificados barra um pouco o crescimento do setor, mas isso não tem sido empecilho para que as pessoas realizem investimentos na área de alimentação”, destaca Ivan Assunção.

Segundo conta o presidente, a Abrasel-CE, o Sebrae e o Senac estão elaborando um projeto para capacitar trabalhadores para o setor, que também deve aderir a iniciativas como o Pronatec (Programa Nacional de acesso ao Ensino Técnico e Emprego), do governo federal.

DHÁFINE MAZZA
REPÓRTER